Resenha: As coisas que fazemos por amor - Kristin Hannah

Editora: Arqueiro
Ano: 2017
Páginas: 352

Caçula de três irmãs, Angela DeSaria já tinha traçado sua vida desde pequena: escola, faculdade, casamento, maternidade. Porém, depois de anos tentando engravidar, o relacionamento com o marido não resistiu, soterrado pelo peso dos sonhos não realizados.

Após o divórcio, Angie volta a morar na sua cidade natal e retorna ao seio da família carinhosa e meio doida. Em West End, onde a vida vai e vem ao sabor das marés, ela conhece a garota que mudará a sua vida para sempre.

Lauren Ribido é uma adolescente estudiosa, bem-educada e trabalhadora. Apesar de morar em uma das áreas mais decadentes da cidade com a mãe alcoólatra e negligente, a menina sonha cursar uma boa faculdade e ter um futuro melhor.

Desde o primeiro momento, Angie enxerga em Lauren algo especial e, rapidamente, uma forte conexão se forma: uma mulher que deseja um filho, uma menina que anseia pelo amor materno. Porém, nada poderia preparar as duas para a repercussão do relacionamento delas. Numa reviravolta dramática, Angie e Lauren serão testadas de forma extrema e, juntas, embarcarão em uma jornada tocante em busca do verdadeiro significado de família.


Classificação:       



"David não sabia como era perder algo tão importante. Mas ele estava certo. Ela deveria ter ligado.  Mesmo tendo só 17 anos e às vezes sendo imaturo, David era a pessoa mais estável na vida dela. Quando estava com ele, seu futuro - o futuro dos dois - parecia puro e cintilante como uma pérola." Página 53


Os livros da autora Kristin Hannah sempre chamaram a minha atenção, mais pelo fato de que eram os primeiros que minha mãe batia os olhos em uma livraria, porém apesar de tê-los em casa ainda não havia lido nenhum deles. Quando solicitei a obra para a Arqueiro percebi que seria um dos únicos lançamentos que teria interesse de resenhar, já que os outros eram integrantes de séries, então assim que ele chegou comecei a leitura e não me arrependo nem por um segundo de tê-lo adiantado na lista de leituras, já que é um livro excepcional.

Em As coisas que fazemos por amor conhecemos Angie De Saria, uma mulher fragilizada pela morte de seu pai e de sua recém-nascida, planejada com tanto amor e uma vitória para o casal, que já tentavam conceber há algum tempo. Quando a dor se instala na vida de Angela, ela se afasta do trabalho e aos poucos do marido, Conlan, e decidem cada um seguir sua vida. Ao voltar para a sua cidade Natal, Angie se compromete com sua mãe e irmãs a criar uma estratégia para o restaurante da família que aos poucos caminha para a falência. Em West End, todos se conhecem e em uma situação Angie vê uma garota pedindo emprego em um dia chuvoso, pouco depois quando está fazendo trabalho voluntário avista a mesma garota pedindo a doação de um blusão de frio para sua mãe. Para ajudá-la, Angie compra os casacos e depois lhe oferece um emprego no De Sarias, já que a única garçonete do restaurante é uma senhora e não aguentaria o aumento do movimento previsto pela família.

A garota é Lauren Ribido, uma adolescente criada pela mãe e que busca um apoio para a vida conturbada. Lauren é extremamente estudiosa, faz o ensino médio em uma escola católica com bolsa integral conquistada por seu esforço. A jovem namora David há quase quatro anos e o rapaz é o único que é estável nesta realidade conturbada entre trabalhar para pagar o aluguel e cuidar da mãe alcoólatra que sempre se envolve com os homens errados, porém o mundo de Lauren começa a ruir quando um descuido ameaça mudar sua vida para sempre. E é nesta situação em que a amizade entre Lauren e Angie floresce, já que a jovem buscava o amor de uma mãe e Angie buscava o afeto de uma filha. 



"Palavras de gente grande, notou Angie: uma explicação dada a uma criança que ansiava por ver as luzes de Natal. Ela queria pôr a mão no ombro da garota, mostrar que Lauren não estava sozinha, mas o momento não permitia tal intimidade." Página 155


As relações familiares são abordadas por Kristin Hannah sem deixar a leitura pesada, é claro que a autora mescla temas fortes como luto e alcoolismo, porém para o leitor a trama é permeada com situações verossímeis e que podem ser encontradas em todas as famílias. Pelo que pude perceber na entrevista feita com a autora e publicada nas últimas páginas do livro, a família e relações entre mães e filhas são presentes em todos os seus livros e, se todos forem como As coisas que fazemos por amor, tenho certeza que Kristin Hannah se tornará uma das minhas autoras favoritas em breve.

Com relação aos aspectos editoriais, tenho que dar os parabéns para a editora pois o livro está impecável. A capa é maravilhosa e chamativa, dando uma visão do que iremos encontrar ao mergulhar na história de Angie e Lauren, a diagramação é simples e os capítulos bem divididos, letras de bom tamanho e páginas amareladas. A revisão está ótima e torna a leitura ainda mais agradável para o leitor, sem dúvidas este é um dos melhores romances que li em 2017. Recomendadíssimo para os leitores que gostam do gênero e para aqueles que querem ler uma história bem elaborada com temas difíceis de se abordar, mas tratados com tanto cuidado e respeito pela autora. 



"Lauren estava sozinha no mundo. Era uma garota boa e responsável, que faria a coisa certa ou morreria tentando, mas como era possível uma menina de 17 anos encontrar o caminho certo numa estrada tão traiçoeira? Ela precisava de ajuda." Página  223

Lançamentos da Fundamento

Olá, leitores.

Confiram os lançamentos da Fundamento:



Os amigos Andy e Terry moram na casa da árvore mais incrível do mundo! E ela fica cada vez melhor!

Antes ela tinha 52 andares, agora está com 65. E tem de tudo: um salão de beleza para animais de estimação, um salão de aniversário, um salão de desaniversário , uma máquina de clones, uma fazenda de formigas, um poço de areia movediça e até um centro jornalístico de televisão 24 horas no ar, que faz atualizações constantes sobre todos os acontecimentos mais recentes da casa na árvore, além de eventos e fofocas do momento.

Sabe qual é a única coisa que a casa na árvore não tem? Uma licença de construção. E o inspetor Plástico Bolha não vai gostar nem um pouco de saber disso...
Sem problemas! Andy e Terry vão viajar no tempo a bordo de uma incrível... lata de lixo... para conseguir a licença e impedir que a casa mais sensacional do planeta vire poeira!

Vai ser a maior maluquice de todos os tempos! Mesmo!



Andy e Terry construíram mais 13 andares e agora a casa na árvore está com 78 andares!!! Haja diversão!!!

As novidades incluem um rabiscatório (antes que você pergunte, é uma sala onde você pode rabiscar as paredes à vontade), um estádio esportivo e muitos clones do Andy e do Terry. Mas o melhor de tudo é que vão rodar um filme lá. E tem até um diretor bonzão de cinema de Hollywood, o sr. Bonzão.

Vai ser incrível! Ou talvez não. Quem sabe...? Só lendo para descobrir o que vai acontecer com Andy e Terry desta vez.

A Casa na Árvore é uma série repleta de histórias engraçadas, criativas e ilustradas destinada ao público infantojuvenil.



Quando uma parada muito louca acontece, Jamie percebe que certas coisas mudam a gente para sempre...

Jamie Kelly está de volta com mais histórias malucas para o Diário Otário. Desta vez, na companhia de Isabella e Angelina (fazer o quê?), ela vai aprender lições importantes
sobre amizade e sinceridade – e vai ver que mentir nunca é a melhor opção.

Nesta edição especial – E COLORIDA! MUITO COLORIDA! – do Querido Diário Otário, Jamie vai precisar encarar coisas sérias da vida “adulta” e, com a ajuda das amigas, vai tentar descobrir a receita para ter fama, riqueza e glamour. E coalas. E glitter. Porque tudo fica melhor com glitter, não é verdade?



Você conhece a última do elefante? E a diferença entre um pessimista e um ímã? Não
sabe?! Então está na hora de aumentar o seu repertório de piadas!

Leia, conte, compartilhe e ria muito com seus amigos. Não tem nada melhor que dar boas risadas... ou ter amigos... ou saber contar piadas... ou...

COMO É BOM RACHAR O BICO DE TANTO RIR!




O novo livro da série aclamada pela crítica do mundo todo.
Da lista dos livros mais vendidos do New York Times.
Publicada em mais de 20 países.
Rangers: uma leitura imperdível e emocionante do começo ao fim.

Sob a tutela do recém-coroado rei Duncan, o reino de Araluen está em paz. Mas por quanto tempo?

O ex-barão Morgarath, para escapar do castigo por sua traição, fugiu. Exilado nas Montanhas da Chuva e da Noite, ele reúne um exército de feras selvagens, os Wargals, e planeja um ataque. Qualquer passo em falso pode desencadear uma nova guerra.

Os intrépidos arqueiros Halt e Crowley terão que mostrar ao rei Duncan o seu valor como guardiões. E vão enfrentar uma tarefa aparentemente impossível para descobrir os planos de Morgarath... e definir o destino de Araluen.



Sete tribos de dragões vivem em guerra há gerações, travando uma batalha interminável por um antigo tesouro há muito perdido. Uma organização secreta chamada Garras da Paz quer pôr fim ao conflito e para isso conta com a ajuda de uma... profecia! Uma profecia que prevê grandes sacrifícios, mas que ninguém sabe como será cumprida.

Os cinco jovens dragões, criados no fundo de uma montanha, finalmente estão livres para cumprir seu destino. Em busca de abrigo e proteção, eles partem rumo ao Reino Marinho, onde Tsunami planeja reencontrar sua mãe, a Rainha Coral, e finalmente conhecer o território do qual é a herdeira. Mas o que os aguarda debaixo das águas profundas é muito diferente do que imaginavam... e muito mais perigoso. Um mistério coloca a vida de Tsunami em risco – e a inimizade entre as diferentes tribos de dragões compromete a segurança de todos. 

Acompanhe Tsunami e os jovens dragões na segunda parte da saga Asas de Fogo, que já conquistou milhões de fãs em todo o mundo. Mergulhe nessa aventura repleta de ação, aventura e emoção!



Três crimes. Três códigos. Muito sangue. Nenhum corpo.
Quando o calor aumenta… a violência dispara.

Em meio ao verão de Oslo, a detetive Hanne Wilhelmsen é enviada para a cena macabra de um possível assassinato. Em um galpão abandonado, há marcas de sangue por toda parte e, na parede, uma intrigante sequência de oito dígitos escrita com o líquido vermelho. Mas não há sinal da vítima. As pistas são escassas. Nos dois sábados seguintes, o horror se repete. Outros locais, números diferentes. Seria uma brincadeira de mau gosto ou a assinatura de um serial killer? E a questão mais importante: onde estariam os corpos?

Contando com sua habitual sagacidade, a obstinada Hanne corre contra o tempo. Ela só tem cinco dias até o próximo sábado... Mas o que fazer quando a linha que separa o certo do errado
começa a se fundir e o sangue derramado pode manchar não só as mãos de inocentes como também a reputação do departamento de polícia onde ela atua?

Uma história vertiginosa. Um final surpreendente.



A chegada de Olav, um garoto de 12 anos, a um orfanato nos arredores de Oslo causa grande desconforto a todos que vivem lá. E mais ainda à rígida diretora da instituição, Agnes Vestavik, que vê algo aterrorizante no olhar do menino: puro ódio. Quando Agnes é encontrada morta com uma faca de cozinha cravada nas costas – e Olav desaparece –, o caso vai para a investigadora Hanne Wilhelmsen, recentemente promovida a inspetora chefe da Polícia de Oslo.

Uma criança pode ser um assassino? A polícia vasculha a cidade em busca de Olav, o principal suspeito. Mas Hanne, trabalhando com o desbocado detetive Billy T. quer saber mais sobre os funcionários do orfanato e sobre o passado de Agnes. Só que, apesar de ser uma brilhante detetive, Hanne está sendo uma negação como chefe: não consegue delegar tarefas, reunir informações ou compartilhar responsabilidades.

Será que Hanne aprenderá a confiar nos outros antes que tudo se torne confuso demais e isso acabe por tirá-la do rumo – no trabalho e na vida pessoal?

Lançamentos da Intrínseca

Olá, leitores.

Confiram os lançamentos da Intrínseca:





Depois de seis anos, o autor de A culpa é das estrelas lança seu primeiro livro inédito.

A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido — quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro — enquanto tenta lidar com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).





Desta vez, Magnus, Sam, Alex, Blitzen, Hearthstone e seus amigos do Hotel Valhala vão precisar cruzar os oceanos de Midgard, Jötunheim e Niflheim em uma corrida desesperada para alcançar Naglfar antes de o navio zarpar no solstício de verão, enfrentando no caminho deuses do mar raivosos e hipsters, gigantes irritados e dragões malignos cuspidores de fogo. Para derrotar Loki, o grupo precisa recuperar o hidromel de Kvásir, uma bebida mágica que dá a quem bebe o dom da poesia, e vencer o deus em uma competição de insultos. Mas o maior desafio de Magnus será enfrentar as próprias inseguranças: será que ele vai conseguir derrotar o deus da trapaça em seu próprio jogo?




Em seu romance de estreia, a modelo e atriz Cara Delevingne revela mais um talento ao apresentar um olhar fresco e sagaz sobre questões atuais da juventude: amizade, bullying, identidade, gênero, transtornos emocionais, a influência perigosa das mídias sociais nas relações e o poder destruidor da imagem.





Em edição comemorativa dos dez anos da primeira publicação, o novo Destrua este diário combina atividades inéditas e outras já conhecidas dos leitores em páginas totalmente remodeladas. Uma segunda chance de mergulhar no mundo de rascunhos, anotações aleatórias e cores variadas.




Com formato de bloco e ótima opção de presente neste fim de ano, A linha tem uma proposta, a princípio, mais simples: pegue um lápis e comece com um traço. Mas, a partir daí, não espere obviedades. Conforme sua linha se move pelas páginas você vai encontrar um infinito de novas formas de explorar os espaços — por cima, por baixo, pelas bordas, parando, voltando e até mesmo cedendo seu traço a outra pessoa. 


Você tem medo de ir ao médico? De fazer exames preventivos? Você sabia que um estilo de vida saudável evita mais mortes prematuras do que uma boa genética?


Em Rejuvelhecer, dr. Sergio Abramoff, especializado em medicina preventiva, explica os maiores riscos das transformações sutis e progressivas que a idade promove em nosso organismo, apontando cuidados e atitudes capazes de diminuir ou adiar significativamente o impacto de doenças comuns na velhice, como, por exemplo, o Alzheimer, o câncer e as doenças cardiovasculares e osteomusculares.



Resenha: Deixei você ir - Clare Mackintosh

Editora: Intrínseca
Ano: 2017
Páginas: 368

Quando Jacob morre atropelado em uma rua de Bristol, Inglaterra, depois de ter soltado a mão da mãe em um dia chuvoso, o motorista do carro que o atinge acelera e foge. Desvendar sua morte vira um caso para o detetive Ray Stevens e seus colegas, Kate e Stumpy. Determinado a encontrar o assassino, Ray se vê consumido a ponto de colocar tanto a vida profissional quanto a pessoal em jogo. Jenna, assombrada pela morte do menino, abandona tudo e se muda para uma pequena cidade costeira do País de Gales. Ela passa os dias em seu chalé tentando esquecer as lembranças do terrível acidente e aos poucos começa a ter algo parecido com uma vida normal e vislumbrar a felicidade em seu futuro. Mas o passado vai alcançá-la, e as consequências serão devastadoras. De vários pontos de vista, a ex-detetive Mackintosh faz um retrato preciso de uma investigação policial. Com sua excelente habilidade de escrita, consegue criar personagens memoráveis e uma análise arrebatadora das excentricidades da vida em uma cidade pequena. Mas o verdadeiro talento da autora é a maneira como ela incorpora reviravoltas em uma trama já complexa. Mesclando suspense, investigação policial e thriller psicológico, Clare Mackintosh disseca a mente de seus personagens enquanto tece inesperadas conexões entre eles.


Classificação:     




"- Suponho que não teremos a cooperação dela. Faremos contato com a diretora da escola de Jacob e perguntaremos se ela aceita falar com o jornal. Seria bom conseguir um ângulo não obtido antes, se isso for possível. Talvez a escola tenha um trabalho manual feito por ele. Um desenho, ou algo assim. Vamos esperar para ver se o apelo nos traz alguma pista antes de começarmos a procurar a mãe; ela parece ter sumido da face da Terra." Página 123


Deixei você ir foi o segundo livro que solicitei para avaliação em setembro da nossa parceira, Intrínseca, e li logo após terminar Por trás de seus olhos. O livro de Clare Mackintosh também é um thriller psicológico e contrariando o bom senso, li um  em seguida do outro e imaginem a surpresa quando percebi que foi a melhor coisa que fiz, já que ambos são extremamente intrigantes e me prenderam do início ao fim.

Jacob é um garotinho de cinco anos, criado com dificuldade pela mãe solteira e que só tem ele em sua vida. Quando estava voltando de casa, solta a mão da mãe e é atropelado. O motorista foge sem prestar socorro e o pequeno morre nos braços da mãe. Investigando esse crime, o detetive Ray busca encontrar o assassino e dar paz para a mãe do garoto, que nada podia fazer. A equipe que investiga o atropelamento de Jacob está empenhada em fazer o culpado pagar, principalmente Kate - a mais nova no departamento. Nada fora descoberto e a mãe do garoto acaba desaparecendo, então o trabalho fica ainda mais difícil já que a única testemunha não pode colaborar com a polícia.

Jenna é uma jovem traumatizada pela morte do garotinho, aluga um pequeno chalé no País de Gales e lá tenta reconstruir sua vida. Ao perceber que as suas economias não iriam durar, monta um site e tira fotos que as pessoas encomendam - nomes e frases aleatórias na praia. Em uma das suas idas à praia, um contratempo a faz ir em uma clínica veterinária e lá conhece Patrick, um homem que irá tentar se aproximar de Jenna, mesmo que ela o afaste por conta de seu passado conturbado. Uma trama cheia de reviravoltas que fará o leitor não querer deixar o livro de lado enquanto não descobrir qual é o elo entre essas duas vidas afetadas pela mesma tragédia. 


"Tudo que sempre quis foi fugir: fingir para mim mesma que a vida de antes do acidente pertencia a outra pessoa, e me iludir que poderia voltar a ser feliz. Muitas vezes me perguntei qual seria minha reação caso fosse encontrada. Queria saber como me sentiria se quisessem me levar de volta, e se eu lutaria contra isso." Página 161


Deixei você ir conta com uma história envolvente, personagens bem construídos e que aos poucos apresentam ao leitor os elementos que os fizeram tomar as decisões cruciais em sua vida. Jenna é uma mulher forte e que encara a nova vida, tentando se recuperar de uma tragédia. Por outro lado, a equipe policial busca com a ajuda de todos a punir a pessoa que assassinou Jacob e sempre aparenta faltar um detalhe para encontrar o responsável. Kate é a personagem que mais me conquistou já que usa seu tempo livre para investigar o caso do pequeno Jacob, pois em um ponto da história a equipe policial é obrigada a deixar o caso de lado por causa das novas ocorrências. Clare Mackintosh deixou exposto o seu conhecimento como ex-detetive em todas as páginas deste thriller emocionante e como pretendo seguir nesta área, fiquei bem impressionada como a autora conseguiu abordar sobre esta profissão, sem tornar a leitura monótona para o leitor. 

A capa conta com elementos importantes para a trama e rouba a atenção do leitor, assim como a sinopse instigante. Com relação a edição, não tenho reclamações. O livro começa com a cena do atropelamento de Jacob, dando ao leitor um relance do que encontrará nas páginas a seguir. A diagramação é simples, letras em bom tamanho, páginas amareladas e capítulos bem divididos fazem com que a leitura seja ainda mais proveitosa. Sem dúvidas este é um livro que me surpreendeu e está entre os melhores thrillers que tive a oportunidade de ler em 2017. 


"Foi burrice pensar que eu poderia escapar do passado. Por mais depressa que eu corra, por mais longe que eu vá, jamais escaparei dele." Página 260

Resenha: Por trás de seus olhos - Sarah Pinborough

Editora: Intrínseca
Ano: 2017
Páginas: 352
Tradutor: Alexandre Raposo

Não confie neste livro. Não confie nestas pessoas. Não confie em você.

Louise é mãe solteira, trabalha como secretária e está presa à rotina da vida moderna: ir para o escritório, cuidar da casa, do filho e tentar descansar no tempo livre. Em uma rara saída à noite, ela conhece um homem no bar e se deixa envolver. Embora ele se vá logo depois de um beijo, Louise fica muito animada por ter encontrado alguém. 
Ela só não esperava que seu novo e casadíssimo chefe seria o homem do bar. Apesar de ele fazer questão de logo esclarecer que o beijo foi um equívoco, em pouco tempo os dois passam a ter um caso. Em uma terrível sequência de erros, Louise acaba ficando amiga da esposa do amante. E, se você acha que sabe para onde esta história vai, pense de novo, porque Por trás de seus olhos não se parece com nenhum livro que já tenha passado por suas mãos. À medida que é arrastada para a história do casal, Louise acaba com mais perguntas que respostas e a única coisa certa é que algo naquele casamento está muito, muito errado.
Em Por trás de seus olhos, best-seller do Sunday Times e do The New York Times, Sarah Pinborough não só reinventa o tradicional triângulo amoroso, como o vira do avesso e de ponta-cabeça, numa trama “com tantos jogos mentais que você vai começar a se perguntar se esse triângulo tem mesmo três lados”, como destaca Josh Malerman, autor de Caixa de pássaros.


Classificação:     


"Estamos quase felizes. Não vai durar - não pode durar -, mas me deleito com a sensação. Principalmente, talvez, por causa do que pode estar por vir." Página 47


Por trás de seus olhos é um thriller recentemente lançado pela nossa parceira, Intrínseca, e logo que conferi a sinopse já me interessei pela leitura. Ando gostando bastante desse gênero que a editora tem investido e não me arrependi, nem por um segundo, de ter embarcado nesta leitura. 

Tudo começa quando Louise, uma mãe solteira, acaba seguindo os conselhos de sua melhor amiga e tem uma noite só para ela. Em uma noite de bebedeira, a protagonista acaba se interessando por um homem e o clima esquenta, porém a situação piora quando Louise descobre que David - o homem do bar - é o novo psiquiatra que estará clinicando no lugar em que ela trabalha como secretária alguns dias por semana. Ao descobrir que ele é comprometido, Louise acaba se afastando e com a convivência percebe que a vida de David é bem mais complicada do que ele deixou transparecer no breve contato que tiveram.

Adele, mulher de David, acaba encontrando Louise por acidente e sem imaginar o que aconteceria a seguir, Louise comenta que trabalha com David, já que havia visto uma foto dela no consultório do chefe e a reconheceu. Aos poucos a amizade entre as duas começa a ser construída, porém Louise também está mantendo um relacionamento com David em segredo. Quando Adam - filho de Louise - viaja com seu pai e a madrasta que agora está grávida, Louise começa a repensar em suas escolhas e se envolve emocionalmente com David, contrariando tudo o que acha certo. 

À medida que a amizade com Adele cresce, a nossa protagonista descobre que a adolescência dela não foi uma das mais fáceis e é marcada por uma tragédia que só não acabou com sua vida porque David a salvou. Além disso, o relacionamento entre David e Adele é bastante estranho, o médico faz ligações diárias para a esposa e esta morre de medo de não estar em casa para atendê-lo. 


"O que ela sente é pânico ou medo? É como levar um tapa na cara. Afinal, o que realmente sei sobre David? Construí todo o personagem depois de uma noite de bebedeira. Uma fantasia. Lembro-me do mau humor de ontem. Não condizia com o modo como eu o imaginava, mas, por outro lado, eu também não imaginava que ele era casado." Página 91 



Este é um livro emocionante e quando você acha que enfim saberá o que está acontecendo com este trio, algo acontece e vira a história de ponta-cabeça e ao avesso, como já avisa a sinopse da obra. Sem dúvidas, Por trás de seus olhos está entre os melhores thrillers que li este ano, a autora construiu com maestria uma história envolvente em todos os aspectos e que nunca é o que percebemos, à primeira vista.

O livro é dividido em três partes e alguns capítulos contam o "antes" da vida de Adele e David, trazendo novas informações sobre o passado conturbado do casal. Os capítulos são narrados em primeira pessoa e alternam entre Louise e Adele, para dar uma melhor noção para o leitor - além de um terceiro personagem que se junta à trama, porém não vou comentar quem porque é spoiler para quem está interessado em conferir a obra. A capa é simples, mas transmite bem ao leitor tudo o que o livro conta em seu interior, as várias faces e tudo o que uma pessoa pode esconder. A edição está ótima, diagramação bem trabalhada, capítulos bem divididos e boa revisão. Sem dúvidas este é um dos melhores thrillers que já li e indico para todos os leitores que gostam deste gênero, e para aqueles que não estão familiarizados peço que deem uma chance - garanto que não irão se arrepender. 


"Ambas rimos, e sinto uma onda de afeição por ela. Adele é minha amiga. E eu sou uma piranha. Ela não tem muitos amigos, e justo a amiga que ela está ajudando tem um caso com seu marido, que já a trata bastante mal. Ótimo. " Página 165